Definição de poesia (Boris Pasternak)

Definição de poesia (Boris Pasternak)

Um risco maduro de assobio.
O trincar do gelo comprimido.
A noite, a folha sob o granizo.
Rouxinóis num dueto desafio.

Um doce ervilhal abandonado
A dor do universo numa fava.
Fígaro: das estantes e flautas –
Geada no canteiro, tombado.

Tudo o que para a noite releva
Nas funduras da casa de banho,
Trazer para o jardim uma estrela
Nas palmas úmidas, tiritando.

Mormaço: como pranchas na água,
Mais raso. Céu de bétulas, turvo.
Se dirá que as estrelas gargalham,
E no entanto o universo está surdo.

—–

Ta aí um poema que gosto muito. Boris Pasternak é o autor do romance Dr. Jivago. Por mais que eu já tivesse ouvido falar desse livro (principalmente do filme), tomei maior conhecimento do autor pela cantora russa (radicada nos EUA) Regina Spektor. Na sua música Après Moi, ela canta um trecho em russo de um dos poemas desse autor, que talvez depois eu poste por aqui ( problema é que eu não consigo encontrar uma tradução para o português desse poema, apenas para o inglês. Dá para entender alguma coisa, mas poesia é sempe mais dificil…). Alias, recomendo fortemente as musicas da Regina. Depois eu faço um tópico dedicado a ela…

Anúncios

4 pensamentos sobre “Definição de poesia (Boris Pasternak)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s