Fringe

Nova série de J. J. Abrams, o criador de Lost

Do site Omelete:

Depois de alguns trabalhos pouco lembrados no cinema, o roteirista/produtor/diretor J.J. Abrams encontrou seu lugar ao Sol na televisão. Começou devagar, com o draminha Felicity (apelidado por aí de “Chaticity”), depois ganhou inércia e fãs com Alias. A série descobriu a beldade Jennifer Garner e serviu como laboratório para as idéias intrincadas e mistérios que ele usaria mais tarde em seu grande sucesso, a telessérie-sensação Lost, que virou um verdadeiro fenômeno. Enquanto isso, voltou ao cinema como diretor em Missão: Impossível III e Jornada nas Estrelas, a retomada do clássico da ficção científica, e também como produtor, no alardeado Cloverfield. Mas o que vem a seguir?Enquanto segue com as filmagens do novo Jornada, Abrams cuida também de sua nova série, Fringe, ao lado dos parceiros Alex Kurtzman e Roberto Orci (Transformers).

O Omelete teve acesso ao roteiro do episódio-piloto – que deve começar a ser rodado nas próximas semanas – e adianta agora alguns segredos dessa misteriosa nova série.

Obviamente, não há como ter certeza se o roteiro que recebemos é o que será gravado, mas nossa fonte é extremamente confiável. Até hoje, de todos os roteiros que recebemos dela, todos estavam entre as mais recentes revisões – e com pouquíssimas diferenças do material acabado. Assim, temos grande confiança de que o que contaremos a seguir é o que você assistirá na telinha dentro de alguns meses.

Ciência Alternativa

Fringe começa com um episódio-piloto de duas horas e, de certa forma, homenageia Lost logo no comecinho. O início – a cena pré-créditos – se parece muito com os primeiros minutos da série dos ilhados. Temos um avião com sérios problemas, voando numa tempestade – e somos apresentados a alguns personagens dentro dele. Mas o problema aqui, acredite, é muito pior (e bem mais grotesco) que o dos sobreviventes do Oceanic 815.

O vôo 627 de Hamburgo a Boston será o estopim da primeira investigação que veremos dos agentes do FBI Olivia Warren e John Scott. Mas não pense que teremos a velha dinâmica Mulder & Scully aqui. A cena que apresenta os dois se passa num motel – e eles não estão ali para investigar um crime…

Não demora, porém, para que Olivia desponte como a verdadeira personagem principal do programa. Nas costas dela, pessoal e profissionalmente, estará a responsabilidade de desvendar o mistério do vôo. Essa obsessão a levará até o Iraque e de volta aos Estados Unidos, onde ela terá a ajuda de um cientista louco (literalmente) e se envolverá na chamada Fringe Science (ciência alternativa), que estuda, na descrição do próprio roteiro, “as fronteiras da possibilidade e além”. Isso significa que palavras como controle da mente, teletransporte, projeção astral, invisibilidade, mutações genéticas e reanimações estarão na pauta do seriado. Prato cheio para os fãs de Lost

De fato, só o piloto, que alterna ação, tensão e bom-humor, já tem uma alta dose desses assuntos. Temos um personagem misterioso, armas químicas inusitadas, uma empresa secreta – a Corporação Prometeu (uma nova Dharma?) -, uma possível conspiração, um laboratório excêntrico, telepatia induzida por LSD, uma vaca puro-sangue chamada “Gene”, robótica avançada e até um biquini de florzinhas. E isso é apenas a ponta do iceberg. Nem pretendo começar a enumerar os eventos mais estranhos – esses certamente veremos em detalhes quando o piloto transformar-se em série regular. E, pode apostar, ele vai. Simplesmente não consegui desgrudar os olhos das 113 páginas do roteiro, que foram devoradas. Se Fringe será o novo Lost eu não sei… mas sem dúvida o roteiro tem potencial pra isso.

A australiana Anna Torv viverá Olivia. John Noble será o cientista doido Dr. Walter Bishop e Joshua Jackson o filho dele, Peter. Mark Valley interpretará John Oscott, Blair Brown será a executiva da Prometeus Nina Cord e Jasika Nicole viverá a assistente federal Astrid. A direção do piloto é de Alex Graves, que serve também de produtor-executivo.

——-

Uma mistura de Lost e Heroes =P Parece que será legal!!! Tomara que de certo!!! 🙂